sexta-feira, 4 de maio de 2018

SERGIPE: DESABAFO DE UM PM



Estas palavras foram escritas de próprio punho e deixadas debaixo da porta da Associação. Dificil não ler e não se emocionar. Este blog transcreveu na integra e resolveu publicar. Essa voz precisa ser ouvida.

"Sou pm, tenho mais de 20 anos na corporação e escrevo essas palavras pra desabafar, algo que não posso fazer no meu dia-dia como policial militar. Entre décadas de altos e baixos, avanços e retrocessos, nunca vi tanto descaso com o ser humano que veste farda como agora.

Não sei o que acontece, mas como se não bastasse os problemas externos, que são muitos e complexos, como uma legislação fraca, falta de apoio da sociedade, falta de apoio do Estado, estamos só na rua. Como se não bastasse isso, temos que está nos humilhando o tempo todo pra buscar o que é de direito.

Se é o ticket, além do valor de miséria, temos que conviver com os constantes erros da administração. Tem colegas que passaram mais de 3 meses sem receber, tendo que fazer vários requerimentos, ligando, se humilhando pra resolver, muitos desistem e o dinheiro fica pra administração.

Se o pm fica doente, ele é hostilizado pelos chefes e punido por apresentar atestado médico. Vi colegas que precisaram se afastar por motivo de doença e são movidos de uma lado pra outro como se fossem entulhos, objetos. Tem que pagar o dia que foi dispensado, ai eu pergunto, se o policial passar um mês afastado, ele vai repor esses dias todos para a administração?

Já os pms que tem restrição física ou psicológica são tratados como lixo, não respeitam suas condições, são obrigados a fazer serviços que não eram pra fazer. Vejo isso todos os dias, mas ficamos calados pra não ser punidos severamente. É triste tudo isso. somos tratados como objetos inanimados que não tem sentimentos.

Tem comandantes que se comportam como verdadeiros tiranos. Não respeitam o homem, não respeitam o profissional, não se respeitam. E ainda temos que ficar calados, passamos por humilhação e não podemos denunciar por se tratar de um chefe. Então ele faz o que quer. E isso tudo nos corrói por dentro, vai destruindo o profissional, vai detonando qualquer motivação que ainda resta. Acabo ficando por causa do salário somente, pois tenho família pra sustentar.

Por falar em salário, estou bem enrolado financeiramente. Após os parcelamentos e atrasos, os juros de cartão e de cheque especial começaram a fazer parte da minha vida e não sei mais como me livrar. Subsidio? Não mesmo. Foi um engodo para os praças escravos. E vejo que meu futuro está bem ruim quando vejo a situação dos inativos. O que me resta? Me vejo sem opções, promoção continua difícil, são 30 anos pra subir 2 ou 3 degraus no máximo. 

Diante de tudo, a vida nessa Instituição parece não ter sentido. Sempre tive orgulho do meu trabalho, hoje me envergonho. Nunca levaria meu filho no meu trabalho, me envergonho do local também, calor, fedor, aperto, tudo meio amador. Mas cobram profissionalismo.

Todos os dias nesse Estado matam policiais militares. Sim, todos os dias. Mas não é de tiro não, é de desgosto mesmo. Precisamos de ajuda, está tudo engasgado fazendo um nó na garganta e me matando por dentro."

ASCOM

Nenhum comentário:

Postar um comentário